Esportistas reconhecidos como próprias marcas

Like and share

O mundo do marketing caminha lado a lado com o mundo esportivo. Com toda a visibilidade que essa indústria possui, grandes marcas investem em patrocínio e parcerias milionárias com atletas de diversas áreas. A imagem positiva de um craque passa credibilidade e atinge facilmente o grande público. Por conta disso, alguns atletas de alto padrão ultrapassam as barreiras dos contratos com as empresas e se tornam suas próprias marcas.

Hoje isso acontece, principalmente, devido aos primeiros passos de dois grandes nomes do esporte mundial: Michal Jordan e Pelé. Ambos foram muito bem sucedidos ao darem o ponta pé inicial para os esportistas serem reconhecidos como marcas.

Atualmente, gostando ou não, o jogador do PSG, Neymar Júnior, é o rosto queridinho dos patrocinadores. Diferente do que muitos pensam, o craque não é tão requisitado apenas pelo seu jeito moleque ou os diferentes cortes de cabelo. Neymar chegou ao topo do mercado publicitário por resultado de tudo o que ele faz dentro do campo.

O famoso “menino Ney” tem aproximadamente mais de 100 milhões de seguidores no Instagram e 60 milhões no Facebook, segundo dados das próprias redes sociais.  Isso só ressalta o motivo de grandes marcas continuarem apostando suas fichas no jogador mesmo o próprio sendo alvo de muitas críticas.

Além do jogador brasileiro, dois nomes são figurinhas cativas no topo de qualquer lista sobre publicidade esportiva: Lionel Messi e Cristiano Ronaldo. Dividindo opiniões e troféus de “Bola de Ouro”, ambos se alternam desde 2008 na hora de levarem o título de melhor do mundo para a casa. Além da rivalidade dentro de campo, o argentino possui uma parceria milionária com a Adidas, já o português é patrocinado pela Nike.

Para as duas patrocinadoras, o rendimento e a relação com o público dos craques é fundamental para a exposição da marca, já que é comprovado que os artilheiros possuem uma grande influência nos hábitos de consumo de torcedores de todo o mundo.

Já fora do mundo do futebol, o velocista jamaicano Usain Bolt, multicampeão olímpico e mundial, é considerado fenômeno dentro e fora das pistas. Bolt criou sua própria loja online e artigos esportivos, diversos canais de redes sociais e até seu próprio emoji. E por conta disso, ele é um dos poucos esportistas que, graças à força de sua marca, levou para o mundo a modalidade que pratica.

Infelizmente, apesar das conquistas de muitos atletas, o mundo do marketing esportivo ainda é predominantemente masculino. Mas, aos poucos, nomes femininos estão começando a se destacar. A representatividade da tenista Serena Williams nas propagandas feitas pela Nike mostra como a própria marca afirma, que “não há jeito errado de ser mulher” e que para alcançar o devido reconhecimento as mulheres devem quebrar as barreiras no esporte e na vida.

Na contramão do excesso de marketing, alguns atletas utilizam toda essa exposição de uma forma mais cautelosa. Um exemplo disso é o tenista Roger Federer, que mesmo no auge, sempre teve um número pequeno de patrocinadores. Federer aposta em contratos maiores, mas com número menor de empresas para que assim haja uma preservação maior de sua imagem. Com essa estratégia, o tenista já foi apontado como o atleta com o maior potencial de marketing do mundo.

By: Eduarda Lacerda. Jornalista e Correspondente Internacional UK No Ar
Facebook Eduarda Lacerda / Instagram Eduarda Lacerda


Like and share