Mulher joga cabelo para trás e tapa tv do passageiro em avião

O que você faria se estivesse nessa situação? (Image: Facebook)

Recentemente, um dos mais acalorados debates de aviação foi resolvido.
Obtendo o assento do meio em um avião significa que você pode usar os dois braços do assento.
Mas agora outro entrou em erupção depois que as ações de uma passageira foram anunciadas nas redes sociais.
Uma mulher foi fotografada com o cabelo pendurado no encosto do banco, tampando a tela da TV da pessoa que estava atrás.
Como você se sentiria se fosse com você?
Um australiano chamado David compartilhou a foto de seu companheiro de viagem, e gerou uma discussão bastante acalorada com várias opiniões diversas sobre o tema.

Mãe admite não ter lavado seu travesseiro em 10 anos

Muitos disseram que lavam seus travesseiros a cada seis meses a um ano (stock photo) (Image: Getty Images/Westend61)

Quantas vezes você lava seus travesseiros?
Uma mulher que quis ser identificada fez uma postagem em um fórum confessando que, em 10 anos, ela nunca havia lavado seus travesseiros.
Seu parceiro ficou ‘horrorizado’ com a descoberta e agora ela planeja comprar travesseiros novos para tentar reverter a situação.
Ela disse: “Nos últimos anos tem aparecido manchas no meu rosto. Eu comprei novos cremes, bebi mais água, mas hoje percebi que não lavei meu travesseiro uma só vez nos 10 anos que eu comprei. De qualquer forma, vou comprar um novo travesseiro. Meu parceiro está horrorizado e eu fui muito julgada, mas com certeza não estou sozinha. Com que frequência você lava seus travesseiros?”

Mulher admitiu ter ficado 10 anos sem lavar seu travesseiro (stock photo) (Image: Getty Images/iStockphoto)

Quase 100 pessoas comentaram em seu post debatendo o tema.
Uma pessoa também confessou que nunca havia lavado os travesseiros: “Eu também nunca lavei um travesseiro. Usamos fronhas e protetores de travesseiros que são lavados regularmente”.
No entanto, muitos eram da opinião de que os travesseiros deveriam ser lavados uma vez por ano.
“Eu não posso imaginar dormir em um travesseiro sujo por 10 anos. É um pouco sombrio.”
“Eu lavo o travesseiro de verdade uma vez por ano no verão”, disse uma mãe.
Um terceiro acrescentou: “Cerca de uma vez por ano, à medida que esquenta o suficiente para secar.”
Outros achavam que travesseiros deveriam ser lavados com mais frequência.
Um outro participante do fórum respondeu: “Compre travesseiros novos – sem penas – com frequência – com muito mais frequência do que a cada seis meses. É a higiene básica”.
Uma outra mãe disse: “A cada seis meses, os meus têm anos e parecem novos”.
(Fonte: Mirror)

Médicos britânicos separam gêmeas unidas pela cabeça

Estas são Safa e Marwa Ullah, as gêmeas de dois anos de idade unidas pela cabeça que passaram por uma cirurgia bem-sucedida em um hospital da Grã-Bretanha para separar seus crânios, cérebros e vasos sanguíneos, sobrevivendo contra as probabilidades.
A cirurgia foi realizada no Hospital Great Ormond Street em Londres
A operação foi bem-sucedida e as garotas se saíram muito bem para receber alta agora em julho
Segundo o cirurgião Owase Jeelani “Elas estão progredindo bem. Elas passaram por um curso intensivo de tratamento nos últimos 10 meses que nós concluímos recentemente. Elas estão se recuperando bem no momento mas ainda é muito cedo para poder comentar definitivamente sobre o futuro delas, então nós estamos otimistas que elas vão se recuperar bem e esperamos poder mostrar isso nos próximos meses.”
Cerca de 50 pares de gêmeos ‘craniopagus’nascem a cada ano e apenas 15 sobrevivem depois de seus primeiros 30 dias.
(Fonte: Reuters)

Homem acredita que teve sua língua corroída por causa do consumo excessivo de bebidas energéticas

Devastado, este professor diz que o dano causado à sua língua é resultado do consumo constante e excessivo de bebidas energéticas.

Dan Royals afirma que o dano causado à sua língua é resultado de beber seis bebidas energéticas por dia

Dan Royals bebe pelo menos seis bebidas energéticas por dia . Ele agora está alertando as pessoas sobre os perigos dessas bebidas – que podem conter niveis excessivos de  açúcar.

Em depoimento para o site de notícias britânico Metro, Dan revelou que seu médico lhe disse que o excesso de açúcar e vários produtos químicos encontrados nas bebidas energéticas provavelmente seriam as principais causas dos danos causados a sua lingua.

Ele escreveu no Facebook: “Quem bebe bebidas energéticas? Voce esta viciado nelas? Pense duas vezes nisso. ‘Dê uma olhada na segunda foto… Isso é o que o consumo excessivo dessa bebida faz na sua língua, imagine o dano que causa por dentro de voce? ‘Até recentemente, quando isso começou a acontecer, eu estava bebendo pelo menos 5-6 por dia (falta de energia para cuidar das crianças) e eu escovo a lingua diariamente, fui ao médico. Descobri que são os produtos químicos dessas bebidas que estão causando isso … Ele literalmente corrói a sua língua. “Então, seja cauteloso.”

Dan também fuma, mas acredita categoricamente que o dano na língua é resultado das bebidas.
Ele acrescentou: “Só para deixar claro, eu realmente me preocupo com minha saúde bucal, mas isso é puramente por causa dessas bebidas … eu fumo, mas o fato de minha lingua estar assim nao tem nada a ver com o fato de eu fumar”.

Pesquisadores da Organização Mundial da Saúde disseram em um estudo nos EUA  que as cáries dentárias podem resultar do pH ácido e alto teor de açúcar de produtos como bebidas energéticas. “Outro estudo mostrou que o consumo de bebidas energéticas pode causar erosão e remoção da proteção nos dentes, levando à hipersensibilidade da dentina cervical”.

Fonte: Metro.co.uk

Inteligência artificial no drive-thru do McDonald's

Drive-thru vai ficar mais informatizado e robótico (Getty Images)

O McDonald’s está pronto para começar a usar  inteligência artificial para gerenciar seus painéis de menu drive-thru. A gigante norte-americana de fast food acaba de comprar uma empresa de aprendizado de máquinas que ajudará a automatizar o processo drive-thru. Basicamente, ele começará a sugerir produtos específicos tendo como base alguns fatores como por exemplo o clima no momento do pedido ou no histórico de compras do cliente.

Steve Easterbrook: o implemento da tecnologia será lançado nos EUA ainda em 2019 (PA)

“A tecnologia é um elemento crítico do nosso Plano de Crescimento de Velocidade, aprimorando a experiência de nossos clientes, proporcionando maior conveniência “, disse Steve Easterbrook, presidente e diretor executivo do McDonald’s. “Com essa aquisição, estamos expandindo nossa capacidade de aumentar o papel que a tecnologia e os dados desempenharão em nosso futuro e a velocidade com a qual poderemos implementar nossa visão de criar experiências mais personalizadas para nossos clientes.”

As telas do menu digital serão alteradas para mostrar os produtos (PA)

Com o tempo, a tecnologia também poderia ser adicionada aos quiosques de autoatendimento e ao aplicativo de pedidos de smartphones. Easterbrook indicou que o sistema poderia ser usado para reconhecer a placa do cliente à medida que se aproximam, ajustando o menu para mostrar produtos com base em suas compras anteriores.

A gigante global está planejando lançar a tecnologia em restaurantes drive-thru nos EUA em 2019, antes de levar também para “outros importantes mercados internacionais”. O que significa que pode muito bem estar no Reino Unido no próximo ano.

Primeiro bebê nascido do útero transplantado de uma pessoa morta

O receptor no caso mais recente envolvendo um doador morto era uma mulher de 32 anos nascida sem um ventre

Uma mãe deu à luz uma menina saudável depois que os cirurgiões implantaram um útero em seu corpo tirado de uma pessoa morta. O nascimento, no Brasil, é o primeiro relatado envolvendo um transplante de útero de doador falecido. Dez tentativas anteriores, nos EUA, na República Tcheca e na Turquia, de conseguir um nascimento bem sucedido usando um útero tirado de um indivíduo morto, tudo terminou em fracasso.

O primeiro nascimento após um transplante de útero de um doador vivo ocorreu na Suécia em setembro de 2013. Desde então, houve 39 procedimentos desse tipo resultando em 11 nascidos vivos.

Uma menina saudável nasceu no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em São Paulo, Brasil (Foto: AP)

O receptor no caso mais recente envolvendo um doador morto foi uma mulher de 32 anos nascida sem útero devido a uma doença genética rara. Em setembro de 2016, ela teve uma chance inesperada de ser mãe depois de passar pelo transplante de útero no Hospital das Clínicas, em São Paulo. O útero foi retirado de um doador de 45 anos que morreu de hemorragia cerebral. Cirurgiões passaram 10,5 horas  conectando veias, artérias, ligamentos e canais vaginais.

A notícia do procedimento foi divulgada na revista médica The Lancet. A Dra. Dani Ejzenberg, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que liderou a equipe, disse: “O uso de doadores falecidos poderia ampliar enormemente o acesso a esse tratamento, e nossos resultados fornecem uma prova de conceito para uma nova opção para as mulheres com infertilidade uterina.

A equipe médica segura a menina que é saudável e feliz – ela nasceu no ano passado, mas fotos e detalhes acabam de ser publicados (Foto: Reuters)

‘Os primeiros transplantes de útero de doadores vivos foram um marco médico, criando a possibilidade de parto para muitas mulheres inférteis com acesso a doadores adequados e às instalações médicas necessárias. “No entanto, a necessidade de um doador vivo é uma limitação importante, pois os doadores são raros, geralmente sendo membros da família dispostos ou qualificados ou amigos íntimos. “O número de pessoas dispostas e comprometidas a doar órgãos após a própria morte é muito maior do que o de doadores vivos, oferecendo uma população de doadores em potencial muito maior.”

Após a cirurgia, a paciente permaneceu em tratamento intensivo por dois dias antes de passar mais seis dias em uma enfermaria de transplante especializada. Ela recebeu cinco drogas de imunossupressão para evitar que seu corpo rejeitasse o novo órgão, assim como outros tratamentos para combater a infecção e a coagulação do sangue.

Cinco meses após o transplante, o útero implantado parecia ter sido incorporado com sucesso em seu corpo. A ultra-sonografia não mostrou anormalidades e ela estava menstruando regularmente. Dois meses depois, oito óvulos fertilizados foram implantados no útero. Os primeiros embriões produzidos pelo tratamento de fertilização in vitro foram congelados e armazenados quatro meses antes do transplante. A gravidez foi confirmada dez dias após a implantação, disse a equipe médica. Nenhuma complicação foi relatada além de uma infecção renal em 32 semanas que foi tratada com antibióticos.

A menina passa bem depois de seu nascimento não convencional

Uma menina nasceu por cesariana após uma gravidez com duração de 35 semanas e três dias. Durante o parto, o útero transplantado foi removido e não apresentou anormalidades. Após o nascimento, tanto o paciente quanto o bebê pareciam saudáveis ​​e bem.

Na idade de sete meses e 20 dias, quando o relato do caso foi escrito, o bebê estava amamentando e pesava 15 quilos. Os autores apontaram que, apesar de seu sucesso, o procedimento envolveu grandes cirurgias, altas doses de imunossupressores e níveis moderados de perda sangüínea. Futuros receptores submetidos a transplantes semelhantes teriam que estar em forma e saudáveis ​​para evitar complicações, disseram eles.

Estima-se que uma em cada 500 mulheres não tenha ventres ou úteros anormais devido a histerectomias, doença hereditária, malformação ou infecção. Antes do transplante de útero se tornar uma possibilidade viável, suas únicas opções para ter um filho eram adoção ou barriga de aluguel.

O Reino Unido pode cancelar o Brexit revogando unilateralmente o artigo 50

A Grã-Bretanha ainda pode cancelar o Brexit revogando o artigo 50 sem o consentimento de outros Estados membros da UE, disse o advogado-geral do Tribunal de Justiça Europeu.

O principal tribunal da UE tem analisado a questão para saber se o Reino Unido pode decidir não avançar com o Brexit, após uma contestação legal por parte de ativistas.

publicidade: Unigran Europa

A recomendação legal formal cita a “soberania” da Grã-Bretanha em questões de elaboração de tratados e diz que a retirada “pode ​​ser revogada a qualquer momento” durante o período de negociação, desde que seja feita de boa fé.

A declaração é significativa porque significaria que a Grã-Bretanha teria o poder de impedir que um Brexit sem acordo aconteça, mesmo que o acordo de Theresa May seja votado na semana que vem.

Advogados do governo britânico também já admitiram que o parlamento tem o poder de instruir o governo a revogar o Artigo 50, significando que os deputados preocupados com um não-acordo teriam poderes para impedir que um deles acontecesse.

publicidade: Armazém Brasil

Advogados da União Européia argumentaram que o Reino Unido precisava de um voto de outros países-membros se quisesse recuar, enquanto o governo britânico disse que a Corte não deveria decidir sobre a questão porque era hipotética.

Embora a opinião do advogado-geral não seja uma decisão legal final, é muito incomum que o tribunal pleno anule sua recomendação. Uma decisão final de um painel de juízes deve acontecer nas próximas semanas.

O governo tem tentado convencer os deputados a votar no acordo de Theresa May, alertando que a votação pode desencadear um não-acordo.

O Artigo 50 explicita claramente que os 27 países precisariam dar seu consentimento para uma prorrogação do período de negociação, mas silencia sobre o procedimento necessário para a revogação.

publicidade: Sol Clinic

O advogado-geral rejeitou os argumentos do Reino Unido de que não deveria haver nenhuma decisão sobre o assunto, afirmando que a “disputa é genuína, a questão não é meramente acadêmica, nem prematura ou supérflua, mas tem importância prática óbvia e é essencial para resolver a disputa “.

A principal autoridade legal disse que a cláusula é revogável desde que um Estado membro que queira retirá-la não esteja agindo de maneira “abusiva”. O advogado-geral propõe que o Tribunal de Justiça declare, no seu acórdão futuro, que o artigo 50.º do TUE permite a revogação unilateral da notificação da intenção de se retirar da UE até que o acordo de retirada seja formalmente concluiu que, desde que a revogação tenha sido decidida em conformidade com os requisitos constitucionais do Estado-Membro, é formalmente notificada ao Conselho Europeu e não envolve uma prática abusiva. ”

 

 

Gêmeos siameses saem do hospital após cirurgia de separação bem-sucedida

Os gêmeos de quinze meses, Nima e Dawa, com a mãe Bhumchu Zangmo, deixam o Hospital Royal Children, em Melbourne, após cirurgia bem sucedida (Foto: AFP / Getty)

Dois bebês de 15 meses de idade nascidos grudados pelo tórax deixaram o hospital após uma cirurgia bem sucedida para separá-los. Os gêmeos Nima e Dawa, do Butão, foram liberados do hospital em Melbourne, na Austrália, após uma operação de seis horas. As garotas se uniram da parte inferior do tronco até um pouco acima da pélvis e dividiram um fígado com cirurgiões no Royal Children’s Hospital de Melbourne em 9 de novembro, chamando-o de “um grande desafio” para reconstruir seu abdômen.

Dawa (esquerda) e Nima (direita) antes de sua operação em Melbourne (Foto: AFP / Getty)

Enquanto ela levava os bebês para fora do hospital – onde estavam desde o dia 2 de outubro – sua mãe, Bhumchu Zangmo, disse: “Obrigado a todos.” A família viajou para a Austrália vindo do Butão para a operação. Joe Crameri, chefe de cirurgia pediátrica do hospital, disse aos repórteres que os gêmeos fizeram uma “excelente recuperação” e agiram de forma independente. “Acho que para a equipe das alas … eles viram duas garotas notáveis, garotas que observamos essa jornada que começaram muito ligadas e ligadas umas às outras, mas que acabaram frustradas uma com a outra”, disse Crameri.

Cirurgiões australianos separaram com sucesso os gêmeos butaneses de 15 meses de idade, que foram unidos no torso, em 9 de novembro (Foto: AFP / Getty)

Os gêmeos se tornaram “incrivelmente ansiosos” após a separação, quando perceberam que não estavam mais na frente um do outro, disse ele. “Nas últimas duas semanas, nós os vimos ganhando confiança, nós os vimos ganhando independência, nós os vimos ganhando muitos pontos fortes”, acrescentou.

Cirurgiões trabalhando na sala de cirurgia do Royal Children’s Hospital de Melbourne (Foto: AFP / Getty)

Antes de voltarem para o Butão, as meninas continuarão sua recuperação em um retiro na cidade de Kilmore, nos arredores de Melbourne. O retiro é administrado pela caridade que levou a família à Austrália, a Children First Foundation.

Nima e Dawa no leito hospitalar após uma cirurgia de separação bem sucedida (Foto: AP)

 

Os gêmeos nasceram juntos por seus corpos (Foto: EPA)

 

Os gêmeos e sua mãe viajaram de sua casa no Butão para a cirurgia especial na Austrália (Foto: EPA)

Dream Big Princess: Disney incentiva jovens mulheres a criarem série de curtas empoderados

 

A Disney é uma das pioneiras no assunto empoderamento feminino. A empresa sempre teve uma imagem feminina como personagem principal, na maioria dos filmes. Entretanto, ao decorrer de todos esses anos, o estilo das histórias e seus personagens estão se modificando.

Histórias baseadas em princesas que só são felizes quando encontram o príncipe encantado não são consideradas as melhores opções. A idéia de mostrar personagens guerreiras como nos filmes Frozen, com as personagens Ana e Elza, e em Moana, estão cada vez mais presentes.

Seguindo essa idéia, a empresa do Mickey resolveu levar para a vida real a iniciativa de empoderar as mulheres. Dream Big Princess (#SouPrincesaSouReal no português) é um projeto da Disney com a fundação GirlUp, iniciativa da Fundação das Nações Unidas para o desenvolvimento da liderança feminina, que procura auxiliar jovens mulheres a serem reconhecidas em seus ramos de trabalho e inspirar pequenas garotinhas pensarem seu futuro em profissões que elas provavelmente não conheciam antes ou tinham em mente que não seriam capazes de exercê-las.

Com essa iniciativa, 21 mulheres de diferentes partes do mundo poderão, agora no mês de outubro, produzir curtas-metragens digitais sobre mulheres inspiradoras. Cada participante formará par com uma líder feminina para contar a história dessas mulheres e seus conselhos para chegar ao sucesso. As brasileiras Alyssa Gandini e Luiza Yoshida foram as representantes do Brasil no projeto.

O projeto já teve sua primeira parte no ano de 2017, quando 19 fotógrafas de 15 países diferentes realizaram uma série de fotos mostrando as histórias de mulheres por volta do mundo que estavam indo atrás de seus sonhos e mudando suas comunidades, de formas grandes e pequenas. Depois que as fotos atingiram a meta de curtidas e compartilhamentos, uma doação de 1 milhão foi feita pela Disney para a fundação GirlUp.

Assim como na outra campanha, a doação da Disney será realizada de acordo com a resposta nas redes sociais, sendo uma doação de 1 dólar para cada curtida ou compartilhamento.

As 21 integrantes do projeto participaram de um workshop exclusivo sobre ferramentas para fazer curtas-metragens digitais, que rolou em Washington DC, EUA, em julho. Também tiveram mentoria da Disney, Apple e Summerja.


By: Eduarda Lacerda. Jornalista e Correspondente Internacional UK No Ar
Facebook Eduarda Lacerda / Instagram Eduarda Lacerda

Como silenciamos as vítimas e acobertamos os criminosos

Quando a cultura do estupro é posta à prova

A ex-modelo Kathryn Mayorga acusa Cristiano Ronaldo de tê-la violentado sexualmente em 2009

Nessa semana o mundo do futebol virou de cabeça para baixo, ou pelo menos, deveria. O jogador Cristiano Ronaldo, de 33 anos, foi acusado de ter cometido um estupro há nove anos atrás enquanto ainda jogava no Manchester United, clube da Inglaterra. Na época, ele já era uma celebridade e tinha sido acabado de ser eleito, pela primeira vez, o melhor jogador do mundo. Na ocasião o jogador estava em Las Vegas, nos Estados Unidos, para comemorar a contratação milionária pelo clube espanhol, Real Madrid. A vítima é Kathryn Mayorga, que tinha 25 anos e trabalhava como modelo, fazendo presença em boates -mercado muito comum em Las Vegas-. Na noite de 13 de junho de 2009 eles se encontraram em uma festa e depois, foram ao encontro privado em um quarto de hotel de luxo. Nesse momento ele teria cometido o crime. Na época o silêncio da modelo custou 375 mil dólares.

A ex-modelo Kathryn Mayorga teria recebido dinheiro de Cristiano Ronaldo para ficar em silêncio

A questão é que o caso não ficou apenas no âmbito da acusação, existem provas médicas que comprovam que Cristiano Ronaldo, de fato, estuprou a jovem na época. Estupro é crime previsto por lei. Se ele cometeu um crime, e foi comprovada sua culpa porque não está preso? Porque o fato de cogitar uma prisão perpétua, conforme as leis de estupro em Las Vegas assusta tanto? Será que o fato dele ser é rico, famoso e ter fãs no mundo todo, o protege? Aposto que sim.

Cristiano Ronaldo e a ex-modelo Kathryn Mayorga juntos em 2009 em Las Vegas

Como em todos os casos de acusação de violência sexual, as dúvidas e as indignações foram as mesmas: “Se ela não queria ter uma relação sexual porque entrou no quarto de hotel?”, “Será mesmo que ela deixou claro que não queria?”, “Ah mas se ele já era famoso e bonito no fundo ela queria sim”, “Porque não o acusou na época?”. Caso alguma dessas perguntas tenham passado pela sua cabeça, saiba que você também colabora para a cultura do estupro. Cultura do estupro é a maneira como chamamos um ambiente que banaliza, relativiza, legitima e justifica a violência contra a mulher. Seja em uma letra de música, na cena de uma novela, em um comercial de cerveja, ou na pergunta “Com que roupa que ela tava?”. Todas essas ações podem parecer simples, mas juntas, apoiam a normalizar o comportamento sexual violento dos homens e ajudam para que haja uma culpabilização da vítima e não do criminoso.

Segundo a ex-modelo, o jogador a teria violentado sexualmente em um quarto de um hotel de luxo em Las Vegas em 2009

Por que em toda a acusação de estupro ou assédio sexual temos que fazer perguntas para entender o que aconteceu ao invés de simplesmente acolher quem realmente precisa de cuidado?. É mais comum do que a gente imagina, e pode acontecer com qualquer mulher, esteja ela em um bar, na escola, na rua, dentro da igreja ou em casa. Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública o Brasil registrou uma média de 164 casos de estupro por dia no ano passado. Foram mais de 60 mil em 2017. Como muitas mulheres não denunciam os crimes, por vergonha e constrangimento, a taxa total de casos pode passar de 500 mil por ano. Apenas 10% deles são registrados, segundo estimativas de governo.

O jogador alega que a relação foi consentida

Até agora a única punição sofrida, pelo foi pelo time de Portugal, no qual ele não pode ser convocado até novembro. Onde está as hashtags, boicotes de patrocinadores, represálias, textos nas redes sociais, e a indignação seletiva de todos? Parece ter passado batido. Não estamos falando de um caso pequeno, ou à parte. Se trata de um crime cruel, bárbaro e o mais acobertado de todos: o estupro.

Casos de jogadores de futebol que cometeram violência contra à mulher e continuaram a carreira normalmente é o que não falta: Dudu, Jóbson, Cuca e Robinho são apenas alguns deles. Fora do âmbito esportivo a lista é ainda maior, os mais recentes são: Jonnhy Depp, Kevin Space, Morgan Freeman, Ed Westwick e Harvey Weinstein . Antes de serem atores, jogadores e celebridades são pessoas, como qualquer outra, que deveriam ter ética, moral e principalmente respeito acima de tudo. Por isso antes de mais nada eles precisam ser julgados pelo o que fizeram e pagar pelo o que cometeram.

O Brasil registra uma violência contra a mulher a cada 11 minutos, o levantamento é do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Segundo uma estimativa do Ipea ( Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada) 70% das vítimas são crianças e adolescentes, 24% dos agressores são pais ou padrastos; 32%, amigos ou conhecidos. Além de terem um dano psicológico quem sofre com essa violência tem que lidar com o constrangimento, humilhação e com a desconfiança de perguntas. O que está por trás é um estresse pós traumático e marcas profundas que a acompanham pelo resto da vida.

Precisamos acolher, ouvir, proteger as vítimas e tratar o criminoso, tal como ele merece.


Amanda Melgaço, Jornalista e correspondente internacional UK No Ar
Facebook Amanda Melgaço