Reposicionamento de marca: para que serve?


Vivemos no século 21, na era na qual é necessário atualizar-se diariamente para sobreviver no mercado. Com essa necessidade de novas informações todo o tempo, o meio publicitário se modifica a todo o instante para seguir as tendências que o próprio coloca no mercado.

As marcas não ficam de fora desse processo. Hoje em dia, todos os consumidores e, principalmente, quem não é consumidor da marca, opina sobre toda ação de marketing ou notícia vinculada na mídia.
Para alcançarem uma consolidação no mercado e ter maior aceitação do público, muitas marcas passaram ou passam por um reposicionamento de marca. Fazer essa mudança nada mais é do que mudar a imagem que os consumidores têm da sua empresa. Entre os motivos mais comuns estão uma nova filosofia adotada, o desejo de explorar novos nichos de atuação ou mesmo a mudança de estratégica da empresa.

Esse tipo de mudança deve ser realizado de forma estratégica para que a sua empresa possa continuar a criar vantagem competitiva frente aos concorrentes, ampliar as vendas e fidelizar os clientes. Em alguns casos, as marcas estabelecidas há muito tempo no mercado possuem receio de mudarem drasticamente o seu posicionamento e perderem clientes.

Por isso, apostar no reposicionamento de marca é uma tarefa bastante trabalhosa, principalmente quando se trata de um mercado competitivo, afinal, mudar o estilo do seu negócio pode gerar uma série de dúvidas.
Ao criar uma nova identidade para a marca, sua empresa desenvolve um novo jeito de se comunicar alinhado à necessidade de mudança da marca.

A essência e os princípios da marca devem permanecer o mesmo para que não haja estranhamento ou negação do público.
Após essa mudança, a estratégia do marketing deve ter como base a comunicação com os clientes e funcionários sobre todo esse processo. Escolha os canais de comunicação adequados e as formas de passar a ideia do novo e, como falamos acima, não perder a confiança nem a relação com o cliente.

Alguns exemplos de cases de sucesso marcas que fizeram esse reposicionamento são: Havaianas, Mc Donald’s, Natura, Coca-Cola, Puma, Melissa e FedEx.


By: Eduarda Lacerda. Jornalista e Correspondente Internacional UK No Ar
Facebook Eduarda Lacerda / Instagram Eduarda Lacerda

Yes, she Cannes

Tanto se fala em igualdade de gênero nos dias atuais, mas, em uma das maiores, ou se não a maior vitrine do mundo, Hollywood, isso não vem acontecendo. Parece que nos últimos 20 anos, a indústria cinematográfica hollywoodiana não evoluiu muito nesse assunto.

No último evento do Globo de Ouro, realizado em janeiro de 2018, a atriz Natalie Portman fez uma referência em relação ao fato dos nomes na lista dos melhores realizadores serem todos homens. Essas questões salariais entre atores e atrizes do tapete vermelho têm sido um dos assuntos mais falados nos últimos tempos.

Outro caso conhecido aconteceu em 2017, quando a atriz Emma Stone denunciou como vários dos seus colegas de elenco masculinos tiveram de aceitar um corte salarial para que ela pudesse cobrar o mesmo. Ainda recentemente a questão da disparidade salarial em Hollywood tinha sido levantada quando veio a público que a atriz de Mulher-Maravilha, Gal Gadot, recebeu um salário 46 vezes menor do que o de Henry Cavill no filme O Homem de Aço.

Um estudo citado pelo Los Angeles Times, realizado por Martha M. Lauzen, directora do Centro de Estudos da Mulher em Televisão e Cinema, da Universidade Estadual de San Diego, Califórnia, aborda exatamente esse tema: apenas 18% de todos os realizadores, guionistas, produtores, produtores-executivos e directores de fotografia que trabalharam nos 250 melhores filmes dos EUA, em 2017, é do gênero feminino.

Um tema que deveria estar num patamar muito mais evoluído, chega a assustar em relação ao fato de que em 1998 o número de mulheres naqueles cargos eram de 17%. O aumento mínimo de 1% choca e comprova ainda mais a realidade machista na qual vivemos.

Mas, para além de Hollywood, em todas as outras áreas e localizações, infelizmente, o assunto não progride muito. No Brasil, uma pesquisa do Instituto Locomotiva aponta que uma mulher negra graduada chega a ganhar 43% menos do que um homem branco – e 27% a menos que uma mulher branca.

Young Lions Brazil

Outro exemplo é dado do mercado publicitário. Uma das competições mais importantes e reconhecidas do meio, o Young Lions Brazil, já somou 417 ganhadores. Destes, apenas 15% eram mulheres.
Neste ano, a história não foi diferente: apenas 27% dos finalistas da competição eram mulheres. Na área de criação, a desigualdade é ainda mais pronunciada, com apenas cinco mulheres competindo com os 45 finalistas do sexo masculino e, para piorar, nenhuma delas conquistou um lugar na delegação que irá a Cannes.

Projeto Yes, She Cannes

Na contramão dos dados negativos, nasceu o projeto Yes, She Cannes, que convida os mesmos jurados da competição a rever as pastas das finalistas de criação e eleger uma Young Lioness brasileira para ir a Cannes (um dos mais prestigiados e famosos festivais de cinema do mundo). A idéia está sendo viabilizada através de uma campanha de financiamento coletivo que pretende arrecadar R$ 15,119 para levar uma mulher ao festival.


By: Eduarda Lacerda. Jornalista e Correspondente Internacional UK No Ar
Facebook Eduarda Lacerda / Instagram Eduarda Lacerda

75 milhões de empregos em todo o mundo simplesmente vão desaparecer

Robôs e inteligência artificial vão assumir METADE de todas as tarefas no local de trabalho até 2025, alerta o Fórum Econômico Mundial

Mais de metade de todas as tarefas no local de trabalho serão realizadas por máquinas até 2025.

Esses dados são do  Fórum Econômico Mundial, que prevê que a IA e os robôs vão acabar com 75 milhões de empregos em todo o mundo até 2022.

Os seres humanos terão que renovar suas habilidades para acompanhar a “mudança sísmica” na maneira como trabalhamos com as máquinas.

A organização sem fins lucrativos suíça também afirma que até 133 milhões de novos empregos serão criados por máquinas durante esse período.

Os seres humanos terão que renovar suas habilidades para acompanhar a “mudança sísmica” na maneira como trabalhamos com as máquinas.

Ele disse: “Apesar de causar uma ruptura generalizada, o advento da máquina, dos robôs e do algoritmo pode realmente ter um impacto positivo no emprego humano”.

O relatório “O futuro dos empregos 2018”, o segundo do gênero, é baseado em uma pesquisa com executivos representando 15 milhões de funcionários em 20 economias.

A pesquisa prevê que robôs vão rapidamente substituir os humanos nos setores de contabilidade, gerenciamento de clientes, industrial, postal e de secretariado.

Até 54% da força de trabalho global exigirá reciclagem para assumir novos papéis à medida que as máquinas aumentam

Os trabalhos que exigem “habilidades humanas”, como vendas, marketing e atendimento ao cliente, devem acompanhar o aumento da demanda, juntamente com o comércio eletrônico e as mídias sociais.

Um grande desafio será recrutar trabalhadores, que serão pressionados a atualizar suas habilidades, especialmente nas áreas de ‘criatividade, pensamento crítico e persuasão’, segundo o estudo.

Entre agora e 2022, os empresários acreditam que os setores de aviação, viagens e turismo, em particular, terão que treinar novamente os trabalhadores.

Até 54% da força de trabalho global exigirá reciclagem para assumir novos papéis à medida que as máquinas aumentam, disseram eles.

Metade das empresas espera reduzir sua equipe permanente até 2022 – um salto acima dos 38% das empresas que esperam aumentar sua força de trabalho.

Menos de um terço das empresas espera que a introdução de robôs e inteligência artificial aumente sua força de trabalho.

Eles disseram que uma tendência geral para a aprendizagem e adaptação ao longo da vida emergirá nas próximas décadas.

O WEF disse que os desafios para os empregadores incluem a reciclagem de trabalhadores, permitindo o emprego remoto e construindo redes de segurança para os funcionários.

Novidades na Apple

CEO APPLE – TIM COOK

Durante a tarde de quarta feira (12), a Apple lançou os novos modelos de Iphone e Apple Watch. Diretamente do Apple Park, em Cupertino, na Califórnia, o CEO da empresa, Tim Cook, apresentou durante um evento os novos sucessores do Iphone X : Iphone Xs, Iphone Xs MAX, Iphone Xr, além do novo Apple Watch 4.

Os novos modelos possuem a mesma capacidade de armazenamento dos antigos, ou seja, 64GB, 128GB e 512GB. Com a evolução do processador, os novos modelos serão 30% mais velozes que as versões anteriores. A presença de algoritmos mais rápidos facilitam a segurança do aparelho, o desbloqueio é feito de forma mais veloz e o Face ID também está mais inteligente. A marca promete maior resistência a água, ou seja, eles aguentam até 2 metros embaixo d’água por até 30 minutos.

O design dos aparelhos estão praticamente idênticos ao modelo do ano passado, porém com diferença no tamanho de tela. Os dispositivos possuem corpo de aço inoxidável, com acabamento durável de vidro nas partes dianteira e traseira, que prometem ser as mais duráveis do mercado.

Os novos modelos serão 30% mais velozes que as versões anteriores

A câmera dos iphones, como o esperado, também foram melhoradas. Os modelos possuem um conjunto de lentes duplas traseiras, uma de 12MP wide e f1.8 e a outra de 12MP telefono, com zoom óptico de 2x. A câmera frontal também foi melhorada e agora é dupla,o TrueDepth tem uma 7MP que trabalha junto com a câmera infravermelha para trazer profundidade para selfies. Além disso, a abertura de câmera agora poderá ser mudada depois que a foto foi tirada, ou seja, você pode desfocar mais o fundo ou fazer com que ele apareça.

A bateria dos iphones são sempre as novidade mais esperadas durante o lançamento, a novidade é que o Iphone Xs possui mais 30 minutos de bateria além do Iphone X, já o Iphone Xs Max possui 1h e 30min a mais. O Iphone Xs começa em $999 e o Iphone Xs MAX $1099.

A grande novidade deste lançamento foi uma nova versão do Iphone X porém com um valor mais acessível . O Iphone Xr possui diversas cores e tela de LCD avançada. A bateria desse modelo dura 1h e 30min a mais do que o Iphone 8 plus e o valor deste modelo começa com $749 (dependendo de sua capacidade).

Apple Watch 4

Não podemos esquecer de outro dispositivo lançado na tarde de quarta feira, o novo Apple Watch 4 traz uma evolução tecnológica impressionante. Houve um aumento de 30% no tamanho da tela e disponibilidade de nova cor. Porém a grande novidade está na parte da saúde, o novo apple watch detecta a queda da pessoa que está usando e liga para a emergência caso seja grave.

Além da opção do eletrocardiograma, agora será possível fazer o exame diretamente do seu relógio e no final, ele produz um pdf que é você pode enviar para o seu médico acompanhar seu desempenho. O novo modelo custa $399.
Os novos produtos estarão disponíveis a partir de outubro.
(Fontes: Hugo Gloss e TechTudo Fotos: Globo/Reuters)


By: Isabelle Bernardes, Jornalista e Correspondente Internacional do UK No Ar
Facebook Isabelle Bernardes

Supermercados do Reino Unido cobram até 5 vezes mais em suas lojas locais

 

Produtos custam mais em lojas locais, menores, se comparados com lojas maiores e mais afastadas do centro

Os supermercados Sainsbury’sTesco e  Waitrose cobram até 5 vezes mais caro em produtos como frutas e vegetais em suas lojas centrais se comparados com as lojas mais afastadas da cidade.

Esta semana os clientes do supermercado Tesco ficaram frustrados depois que uma das maiores marcas do Reino Unido no segmento praticamente dobrou o preço de uma banana para 25p em algumas de suas lojas.

A rede de supermercados alegou que o valor dos aluguéis nas regiões mais centrais influenciaram diretamente essa diferença nos preços.

O jornal Mail Online fez uma pesquisa com os principais varejistas do segmento nas regiões de Liverpool, Plymouth, Londres e Guildford  e descobriu que os clientes podem pagar mais caro em diversos itens em lojas centrais.

Alguns produtos chegam a custar o dobro do valor

SAINSBURY’S

O custo total de uma cesta com 12 itens mostrou que se paga 92p a mais em uma loja Sainsbury’s Local no centro de Liverpool em comparação a uma loja maior na Wirral.

E a mesma maçã Braeburn custa cinco vezes mais: na loja da cidade custa 35p, já na loja a nove milhas do centro custa 7p.

O recibo do Sainsbury’s Local no centro da cidade de Liverpool, onde as bananas custam 14p a mais

Abacates em pequenas lojas locais Sainsbury vêm em pacotes de dois e custam £ 1,90 enquanto fora do centro da cidade o mesmo produto ‘Maduro e Pronto’ custam 10p menos.

Um pacote de New York Plain Bagels custa 30p a mais em uma loja Sainsbury’s Local na cidade.

O recibo à esquerda do Sainsbury local chegou a 92p mais que a loja de Wirral

WAITROSE

Na Waitrose, uma cesta similar de sete itens custa £ 1,33 a mais em uma loja em Wimbledon, sudoeste de Londres, em comparação com uma loja maior em Guildford, Surrey.

Comprar nos mercados conhecidos como Locals ou Express pode pesar mais no bolso do consumidor

As bananas  custam 35p na loja menor de Waitrose, mais que o dobro em um supermercado maior, onde a mesma banana custa 15p.

E um pacote de quatro cebolas de uma loja menor custa quase o dobro de quatro cebolas soltas disponíveis em um supermercado maior.

Um porta-voz da Waitrose disse: ‘Pequenas lojas custam mais por causa do aluguel mais alto e pagam mais taxas devido a  horários de funcionamento mais longos.”

TESCO

Quanto ao Tesco, que agora cobra a fruta por unidade em vez de peso,  os clientes pagam 76p por quilo nas lojas da Tesco Metro – o que equivale a 10-15p por banana.

A mudança de preços entrou em vigor nas 176 lojas da marca Tesco na semana passada.

As lojas do Tesco Metro são menores do que os supermercados tradicionais – que chama de Superstores – e as lojas Express são ainda menores.

O jornal MailOnline descobriu que a rede também cobra 37p por uma maçã de sua maior loja Tesco Extra, a 16 quilômetros de Plymouth, enquanto cobra 45p em uma loja no centro da cidade.

Valores dos alugueis e taxas sao as causas principais do custo mais alto dos produtos nas lojas centrais

A Tesco também fixou o preço de outros alimentos, como cebolas e abacates – custando substancialmente mais em suas lojas menores.

Uma única cebola em sua loja no centro da cidade custa 25 centavos de dólar enquanto estava a 11 centavos em uma outra loja a dezesseis quilômetros de distância – menos da metade do preço.

Um porta-voz da Tesco disse: ‘Devido aos custos mais altos envolvidos na operação de nossas lojas Express e Metro, há uma pequena diferença em vários produtos.

“Nossas lojas de conveniência estão em locais privilegiados e centrais, onde os aluguéis são mais caros em comparação com os Extras e as Superstores de fora da cidade.”

Ele disse que não tinha planos de lançar a mudança de preço para as lojas maiores. A cadeia tem quase 3.500 lojas em toda a Grã-Bretanha, das quais cerca de 2.700 são lojas de conveniência.

Números recentes mostraram que o preço de alguns supermercados de frutas e legumes subiu devido aos efeitos da onda de calor, combinada com a primavera fria.

O Reino Unido teve a primeira metade do verão mais seca desde 1961 e os agricultores alertaram que as condições áridas e prolongadas prejudicariam as lavouras.

O preço médio do brócolis no supermercado subiu 25,8% no ano passado, para 1,54 dólar, segundo dados da The Grocer dos analistas Brandview.